A Fundação Castro Alves é o mais recente parceiro do Inforartis - 2009

No final da tarde de ontem, teve lugar na Fundação Castro Alves em Bairro, a assinatura do Protocolo entre o Inforartis – Instituto de Formação Artística do Vale do Ave e a Fundação Castro Alves.
 
Na mesa de honra sentaram-se o Dr. José Alexandre Reis, director pedagógico do CCM, o Padre Jorge Sena, director geral do Colégio das Caldinhas, O Dr. Manuel Boaventura, director da Fundação Castro Alves, a D. Alcina Castro Pereira, vice-presidente da Fundação Castro Alves e o Dr. Leonel Rocha, vereador da cultura da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão.
 
Este protocolo surge no seguimento de um outro assinado em 2001, no qual o CCM – Centro de Cultura Musical se tornou parceiro da Fundação com o propósito de desenvolver o estudo da música e possibilitar às crianças da região o acesso ao ensino desta arte.
 
Com este protocolo, e na sequência do que já acontece, a Fundação Castro Alves delega formalmente ao Inforartis (entidade proprietária do CCM) a gestão do espaço educativo e cultural da área musical.
 
Em contrapartida, o Inforartis aplica o seu know how e os seus recursos pedagógicos para o desenvolvimento do ensino e de actividades no âmbito da música de forma a possibilitar e alargar a oferta musical da zona.
 
O Inforartis vai assumir também parte dos custos da remodelação das infra-estruturas da Fundação, nomeadamente da zona respeitante à música, um investimento que ascende aos 200 mil euros.
 
Numa fase inicial, vão ser criadas salas de aula na cave e por trás do palco do auditório que será, por sua vez, transformado em anfiteatro.
 
O projecto apresentado prevê ainda a remodelação da fachada com recurso à cerâmica “da casa”, e a criação de uma teia cilíndrica, em forma de chaminé, símbolo das estruturas fabris que estiveram na origem da Fundação.
 
Nas palavras do Padre Jorge Sena, este investimento representa “um risco, mas queremos arriscar porque os objectivos são nobres; queremos proporcionar às crianças uma oferta diversificada e com qualidade na área musical”.
 
O protocolo tem a duração de 35 anos, com início em 01 de Janeiro de 2009 e termo em 31 de Dezembro de 2043.