A integração da Escola na região, sendo um propósito das Escolas Profissionais, foi assumida na ARTAVE como tarefa prioritária. Consciente das carências culturais, que a nível musical se revelam importantes, quer em termos regionais quer nacionais, a Escola Profissional Artística do Vale do Ave planificou as actividades no sentido de as projectar para a comunidade, prioritariamente a nível regional e, dentro das suas possibilidades, para todas as regiões do país e mesmo estrangeiro.

O apoio dos promotores, de entidades autárquicas e de numerosas instituições privadas, para além do indispensável do Ministério da Educação, possibilitou a realização de mais de mil Concertos e Recitais. Para além de Concertos nas mais importantes cidades do País, as formações Orquestrais da escola, com particular incidência para a Orquestra ARTAVE apresentaram-se em várias cidades internacionais. Em termos históricos, uma das digressões mais significativas realizou-se em 1993 por sete capitais do Brasil. Esta digressão recolheu um grande aplauso do público e da crítica.

Sinfonias de Haydn, Mozart, Beethoven, Schubert, Schumann, Dvorak, Tchaikowski, Stravinsky, concertos para os mais diversos instrumentos solistas, obras corais-sinfónicas de Haydn, Rossini, Mendelssohn e Poulenc integram o enorme repertório cumprido pelos estudantes da ARTAVE e colocado ao serviço das populações, constituindo assim uma experiência extremamente rica dos pontos de vista pedagógico-musical e revelando a ARTAVE como um verdadeiro projecto cultural.

Ao longo destes anos, a ARTAVE tem desenvolvido, em cooperação com Universidades dos Estados Unidos, nomeadamente a ASU - Arizona State University -, projectos de prática instrumental em grupo em ambiente de laboratório, os denominados Labs ou Piano Teaching Groups. A investigação tem-se revelado muito promissora tendo já sido aplicada ao ensino vocacional, no CCM - Centro de Cultura Musical, Conservatório Regional.